Os bancos digitais já eram uma realidade na vida de muitas pessoas, mas se tornaram ainda mais com o isolamento por conta da Pandemia da Covid 19.

Segundo pesquisas recentes, de 2018 a 2020, houve um aumento de 73% de adesão a novas contas digitais no país. Até 2018, havia ao menos 25,4% da população com uso de contas digitais, porém, o número saltou para 44% em 2020.

Esse aumento mostra o quanto o mercado teve que agilizar os avanços tecnológicos para atender uma demanda que mesmo isolada, continuava necessitando de serviços de qualidade, para pagar contas e gerir o próprio dinheiro.

Maior índice de uso de bancos digitais, é brasileiro

O Brasil é um dos países com melhor e maior adesão a bancos digitais no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, Alemanha e Inglaterra. Um dos países com crescimento rápido na adoção desta modalidade bancária é a Suíça, que teve alta de 82%.

Nesse crescimento rápido, o Brasil é o segundo, com 73% e no número de clientes digitais, o país está em terceiro lugar, com 44% de participação. A pesquisa é da Accenture com o banco digital N26 sendo feito em 28 países e com mais de 47.800 pessoas.

Das pessoas entrevistadas, 23% possuem ao menos uma em bancos digitais, e o perfil mesmo mais diversificado, ainda se mostra com a maioria de homens na casa dos 25 a 44 anos e com renda alta.

No Brasil, essa diversificação é bem aparente, já que aqui, as mulheres é que comandam esses clientes, com 52% de aceitação contra 48% dos homens. Ou seja, aqui, é o inverso dos outros países que fazem parte da pesquisa da Accenture.

Mesmo com bancos digitais, muitos preferem bancos convencionais

A pesquisa da Constellation Asset Management, entrevistou 2 mil pessoas e determinou que 25% dos brasileiros abriram uma conta digital no último ano, sendo a maioria em bancos digitais.

Contudo, 3 em cada 4 possuem mais de uma conta e 62% acham as contas online mais práticas, mas não abrem mão dos bancos convencionais por nada, porém, por um bom motivo: manter o crédito em aberto, caso precisem.

Outro motivo é haver um histórico financeiro vigente, já que geralmente, as contas em bancos convencionais são mais antigas e logo, dão mais credibilidade ao nome e score do correntista.

Pessoas com mais de 50 anos tendem a ser mais fiéis aos bancos convencionais, e a pesquisa conseguiu perceber isso, já que 67% das pessoas dessa faixa etária afirmarem tal fidelidade.

Apesar disso, os jovens com menos de 30 anos, só mantém contas convencionais por no máximo 3 anos e depois fecham, transferindo todos seus serviços e dinheiro para os bancos digitais.

Vantagens dos bancos digitais

A principal vantagem do banco digital é sua praticidade de utilização, que pode ser feita de qualquer lugar do mundo em apenas alguns toques no celular.

A segurança é outro ponto importante. Segundo a Febraban, os bancos digitais investem ao menos, mais de 2 bilhões e meio de reais por ano, para que a cibersegurança seja uma prioridade e garanta que as pessoas consigam gerir seu dinheiro e investimentos com total tranquilidade.

Outra vantagem que os bancos digitais oferecem é um combo de serviços como qualquer banco convencional. Serviços como TED, DOC, investimentos e poupança, além de financiamentos, são alguns dos serviços bancários que podem ser encontrados facilmente em qualquer banco online hoje em dia.

Todavia, estes bancos estão cada vez evoluindo e alguns já oferecem serviços especiais como carteira digital para criptomoedas, além de conta global para receber dinheiro do exterior, já devidamente convertido em reais.

Sem dúvida, com o tempo, os bancos digitais serão cada vez mais populares para garantir seu dinheiro com facilidade, rentabilidade e segurança.

Artigo anteriorPrimeiro trimestre de 2022 tem queda no mercado de vinhos no país
Próximo artigoAntes de começar a reformar, confira essas 5 dicas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui